NOTÍCIAS
4 de Novembro de 2016
Truques de home staging para pores em alta a época baixa
Ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar as casas mais atrativas é o objetivo desta rubrica do idealista/news Portugal, assegurada pela Home Staging Factory. Hoje, apresentamos-te um conjunto de dicas para aproveitares ao máximo a época baixa para rentabilizares o teu negócio de alojamento local.
 
Já se sabe que Portugal está em alta e que ocupa lugares de topo nas tabelas dos melhores e mais procurados destinos turísticos. As altas temperaturas que se têm sentido em novembro talvez criem a ilusão de que o verão continua, mas a sazonalidade existe e estamos à porta da época mais baixa no alojamento.
 
Mas a época baixa, mais que uma fraqueza, pode servir para pôr o teu negocio em alta, caso estejas a arrendar casas a turistas.
 
Entre novembro e janeiro é a altura ideal para fazer manutenção nas casas e investir nas soluções capazes de seduzir e conquistar os hóspedes que de outra forma fariam a sua escolha apenas assente no factor preço.
 
Em vez de baixares o preço trabalha no sentido de maximizar o potencial e valorizares o espaço e o serviço prestado. Para isso, começa por analisar a oferta e o perfil do teu cliente. Tenta perceber quem é, como viaja, com quem viaja, que necessidades tem, como utiliza o espaço e quais as queixas mais comuns.
 
Um dos instrumentos que tens são os comentários que fazem na internet. A partir daqui lista os teus pontos fortes e os pontos mais fracos. Outra ferramenta importante é olhares para o lado e comparares o teu espaço com a oferta existente na mesma localização ou no mesmo segmento de preço.
 
Que outras opções tem o teu cliente na mesma localização ou pelo mesmo preço? Pode ter um quarto mais confortável ou com um ambiente mais convidativo?
 
Faz uma breve análise e decide onde podes melhorar e onde deves mesmo investir para superares as expetativas do teu cliente. Lembra-te que vivemos na era da economia digital e de partilha. A experiência que proporcionas deve ser digna de partilha ou comentário no facebook, instagram, snapchat, tripadvisor ou outra rede social.
 
O que mais valoriza o cliente aquando da escolha do alojamento?
•Um boa apresentação
 
Hoje, o espaço vende-se na internet. E em primeiro lugar através das fotografias. Não tenhamos ilusões, só depois de seduzido pelo visual, o viajante vai consultar os comentários, verificar concretamente a localização ou verificar os extras.
 
O hóspede procura um espaço organizado, confortável, acolhedor, funcional, convidativo e surpreendente. Os espaços que não conseguirem transmitir um bom ambiente na primeira foto estão condenados a ficar para trás.
 
Dá preferência a uma decoração assente em tons claros e neutros em vez de cores e motivos muito fortes como padrões carregados ou floridos. As cores mais suaves aumentam a percepção do espaço e conferem uma atmosfera serena e reconfortante. Para tornar o teu espaço único ou especial podes apostar em alguns detalhes decorativos originais ou extras que ofereces aos teus convidados.
 
Para criares um ambiente convidativo lembra-te de trabalhar bem a iluminação. Para alem da iluminação de teto é importante ter pontos de luz secundária que favoreça a leitura ou ilumine os cantos. Opta por lâmpadas de luz suave e quente em vez da luz branca e fria.

Por um lado, o espaço deve transmitir paz e sossego e ser esteticamente limpo e depurado (sem poluição visual). Por outro, deve ter algo único e diferenciador que faça com que o hóspede queira repetir a experiência ou partilhá-la com os seus amigos.
 
Lembra-te que vais vender o espaço pelas fotografias pelo que é a imagem que conta. Cria cenários evocativos que levem o viajante a querer optar pelo teu espaço.
•Uma excelente “pontuação”
 
Mais que a categoria oficial do alojamento, a pontuação dada pelos  hóspedes são as novas estrelas. Já não temos hotéis de 1 a 5 estrelas. Temos alojamentos com notas de 0 a 10. Vivemos na época dos “reviews” e da economia partilhada. Os alojamentos são avaliados pela experiência dos outros. E aqui os hóspedes avaliam fatores decisivos como o conforto, a limpeza e higiene, a localização e acessibilidade, disponibilidade e o serviço prestado, a alimentação, etc.
 
Uma boa experiência é fundamental e há coisas onde não podes poupar. É o caso dos “básicos” que definem a experiência do hóspede. A cama, o colchão e o duche devem ser memoráveis. Para isso aposta num bom colchão, em têxteis macios e de boa qualidade e num duche largo e com muita pressão.
 
Depois de cumpridos os critérios básicos há que trabalhar os “extras”. Criar momentos ou apostar em detalhes que surpreendam positivamente ou divirtam o hóspede.
•O binómio “preço-qualidade”
 
São os “extras” que marcam a diferença. O binómio qualidade-preço é apesar de subjectivo o factor mais importante para os hóspedes. Que qualidade tenho a que preço é o que me interessa. Muitos viajantes estão dispostos a pagar um pouco mais para ter uma melhor experiência. Detalhes como um bom pequeno almoço, um mimo à chegada, um guia personalizado do bairro, uma decoração original ou internet gratuita podem ser um factor decisivo na escolha do alojamento.
 
De acordo com os estudos do hotels.com mais de 60% dos viajantes escolheram o seu último hotel porque ofereciam ligação wi-fi. Nos últimos dois anos o serviço wi-fi tornou-se uma prioridade para a maioria dos viajantes.
 
Ou seja vivemos numa época em que temos que trabalhar o alojamento segundo 3 eixos:
•a fotografia e a apresentação on-line
•a experiência do viajante no local
•a potencialidade de partilha da experiência
 
Para conseguires pores em alta a época baixa tens que andar nos eixos. Ter um espaço irresistível, oferecer uma experiência memorável e criar razões ou momentos dignos de partilha.
 
Fonte: idealista news

« Voltar

Ao navegar neste site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informaçõesAceitar

Cookies

 

Fechar