NOTÍCIAS
10 de Maio de 2017
Imobiliário: Portugal mais atrativo que do Espanha, Itália ou França
Durante cerca de 15 anos, a companhia centrou-se sobretudo na Florida (EUA) e Caraíbas (Bahamas e Antigua), mas no ano passado aceitou o desafio de alguns clientes para olhar para a Europa.
 
Portugal, refere este especialista, destaca-se devido à melhoria das perspetivas económicas, tem menor densidade urbanística do que Espanha e por ser um país seguro, exemplificou.
 
"É tudo uma questão de 'due diligence', pesquisar e compreender o projeto, e não ser levado pelo coração", vincou, referindo que os clientes estão mais interessados no rendimento financeiro do que do uso que possam tirar da propriedade em Portugal.
 
Quanto ao impacto do 'Brexit' (saída do Reino Unido da UE), Ashley Foakes minimiza.
 
"Temos esperança que a relação longa com Portugal prevaleça e não tenha impacto no futuro", confessou.
 
A 13.ª conferência "Portuguese Chamber's 2017 Property", organizada pela Câmara de Comércio Portuguesa no Reino Unido, decorreu este ano sob o tema "Como pode Portugal atingir os Três Principais Perfis de Compradores Britânicos?".
 
Este evento de troca de experiências e contactos para profissionais do imobiliário que trabalham no setor do turismo residencial em Portugal e no Reino Unido atrai desde 2004 dezenas de promotores imobiliários, instituições financeiras e investidores.
 
Este ano, os três painéis de especialistas foram escolhidos para analisar em profundidade três tipos muito distintos de investidores britânicos no imobiliário em Portugal, fruto de um perfil demográfico em envelhecimento acelerado.
 
Um dos grupos de compradores são "trabalhadores e apreciadores do estilo de vida", ou seja, um segmento que emergiu recentemente, constituído por empresários britânicos e empresários com mais de 40 anos, que estão a considerar mudar a sua residência e/ou negócio para Portugal, para aproveitar os benefícios fiscais vantajosos disponíveis.
 
Outra categoria é composta de compradores idosos "independentes ou com necessidade de assistência", produto do "pico demográfico" que se aproxima rapidamente do Reino Unido e que poderá afetar o perfil de comprador típico de Portugal nos próximos anos.
 
Segundo estatísticas recolhidas pela organização, em 2017 haverá cinco milhões de adultos no Reino Unido com mais de 75 anos, em 2027 serão sete milhões, muitos dos quais poderão avaliar mudar de país para gozar a velhice.
 
Por fim, os compradores com um "estilo de vida relaxado" são o segmento mais tradicional, que procuram um estilo de vida ativo, baseado no bem-estar, vivido entre o Reino Unido e Portugal.
 
Estes procuram normalmente uma segunda residência em Portugal, atraídos por desportos como o golfe, o sol, fácil acesso, melhor qualidade de vida e tempo em família e, em alguns casos, para possível investimento.
 
Estima-se que residam permanente em Portugal cerca de 40 mil britânicos.
 
Pela primeira vez, este ano a Câmara de Comércio promove também uma série de seminários abertos ao público para potenciais interessados no dia seguinte à conferência, na quarta-feira, no Lord's Cricket Ground, em Londres.
 
Fonte: Casa Sapo Noticias
« Voltar

Ao navegar neste site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informaçõesAceitar

Cookies

 

Fechar