NOTICIAS
Voltar \ Coisas para fazer em Lisboa em Junho

Coisas para fazer em Lisboa em Junho

15 jun 2019
Coisas para fazer em Lisboa em Junho
Quer aproveitar a cidade e não sabe por onde começar? Nós dizemos-lhe as melhores coisas para fazer em Lisboa em Junho. Chega Junho e o Verão já se sente na cidade. A vontade de sair à rua é maior e olhe que a oferta cultural e gastronómica que a cidade lhe dá é bem capaz de responder ao que precisa para este tempo. E, como manda a tradição, Junho é propício a arruadas sem fim em busca da melhor sardinha assada ou do melhor bailarico para se abanar.

Santos Populares 2019: arraiais em Lisboa

A curtir todos os santos ajudam, mas nenhum ajuda tanto quanto o Santo António. Durante o mês de Junho (e ainda com alguns resquícios em Julho), o santo mais popular de Lisboa transforma a cidade num imenso arraial enquanto assiste, deliciado, ao sacrifício de milhares de sardinhas. Os grelhadores estão a aquecer, as cervejas estão a arrefecer e nós adoramos viver todos os dias em festa. Mas queremos que nos faça companhia. Por isso dizemos-lhe tudo o que precisa de saber para aproveitar o melhor das festas mais bonitas da cidade mais linda. Bem populares ou alternativos, a escolha é sua. Mas não perca de vista esta lista dos arraiais em Lisboa – o mais provável é que esteja em constante actualização. 

Somersby Out Jazz

O Somersby Out Jazz está de volta e nesta 13.ª edição traz novidades: há dois jardins que entram na corrida ao melhor lugar deitado na relva, o Parque da Bela Vista (Setembro) e a Ribeira das Naus (Agosto). Até Setembro é assim que pode aproveitar os domingos, sem ter de pagar nada. Os estreantes juntam-se assim à Torre de Belém (Maio), Jardins do Campo Grande (Junho) e Jadim da Estrela (Julho), para acolher as longas tardes de jazz, soul, funk e hip-hop.  Este ano, a organização preparou talks especiais que acontecem um domingo por mês sobre temas que incidem na sustentabilidade e música, com Fernando Alvim a moderar as conversas. As iniciativas vão sendo anunciadas nas redes sociais do Out Jazz. O festival volta a aliar-se ao Movimento Claro para promover comportamentos mais sustentáveis – não haverá palhinhas e os copos são reutilizáveis, podendo ser adquiridos em cada jardim por 1€. Tome nota: todos os domingos de Maio a Setembro a partir das 17.00 e sempre de entrada livre.

Concertos em Lisboa em Junho

Junho costuma ser um mês de grandes concertos em Lisboa e arredores, quase como uma antecâmara dos festivais de Verão que estão ao virar da esquina. E, apesar de o calendário de concertos de 2019 ainda estar um bocado depenado, um dos concertos mais aguarados do ano é precisamente neste mês. Aliás, dois dos concertos. 

Fado no Castelo

Um dos pontos altos das Festas de Lisboa é a iniciativa Fado no Castelo. Nesta edição, combinam-se as vozes de duas artistas portuguesas de referência: Ana Moura, a 14, que canta ao lado do grupo de capella Sopa de Pedra, e Raquel Tavares acompanhada dos Gospel Collective, no dia 15.


Cine Society


Chris Wood e Phil Ilic, ambos ingleses, conheceram-se a fazer escalada na Arrábida. Conversa puxa conversa e lá se aperceberam que são dois cinéfilos com vontade de proporcionar experiências cinematográficas à população lisboeta. Aquilo que começou como sessões de cinema para amigos em casa de Phil tornou-se o Cine Society, o cinema ao ar livre que invadiu Lisboa no Verão de 2017 e que promete mais noites quentes para 2019. Este ano, além do Topo Chiado, também o Blue Bar do Hotel Baía, em Cascais, volta a servir de palco às sessões ao ar livre de filmes clássicos ou mais recentes. Os auscultadores são individuais e permitem a qualquer pessoa ir, por exemplo, buscar um cocktail sem perder o fio à meada no enredo.

Exposições em Lisboa

Temos mais de duas mãos cheias de exposições para provar que está bem enganado. Queremos ajudar a tornar os próximos dias mais culturais, sozinho ou com a família toda atrelada (sim, há exposições kids friendly). Com tantos museus e galerias na cidade, é impossível não ter o que ver. Não queremos que se perca e por isso dizemos-lhe quais as exposições a que deve prestar atenção em Lisboa. Não há desculpas para não sair de casa. 


CineConchas

Na Quinta das Conchas, um dos maiores jardins da cidade, as noites quentes de Verão, de quinta a sábado, vão começar a ter vista para as estrelas e para o ecrã. O CineConchas já tem datas marcadas para a sua 12.ª edição: de 27 a 29 de Junho e de 4 a 13 de Julho. Vão ser três semanas mágicas de cinema ao ar livre, todas as noites a partir das 21.45. O programa, integrado nas Festas de Lisboa, é vasto e para todas as idades, pronto a servir qualquer freguês. Pode assistir a filmes como A Revolução Silecionsa ou Green Book – Um Guia Para a Vida, sem esquecer os filmes dedicados aos miúdos, como Força Ralph: Ralph vs Internet ou Como Treinares o Teu Dragão: O Mundo Secreto.

Lisbon Gym Fest

Este evento de ginástica não competitiva terá a sua 3.ª edição na bonita cidade de Lisboa, com o Tejo a servir de enquadramento. Haverá exibições de classes de saltos, acrobática, dança, rítmica e ginástica de grupo de todas as idades, de Portugal e Internacionais, num cenário de grande beleza, festa e amizade.

Com’Paço – XII Festival de Bandas de Lisboa

A 12.ª edição do Festival Com’Paço apresenta várias grupetas de bandas filarmónicas, empenhadas em animar zonas estratégicas da urbe como o Jardim da Estrela e o Largo Arco do Cego – só tem de escolher a zona mais conveniente para apanhar estas melodias para todos os gostos e feitios. A Banda Musical e Artística da Charneca (Lisboa), Banda de Música de Cête (Paredes), Banda de Música de Santiago de Riba-Ul (Oliveira de Azeméis), Filarmónica do Crato (Crato), Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba (Alcácer do Sal) e a Sociedade de Instrução Coruchense (Coruche) são as bandas participantes nesta edição. O concerto de encerramento é na Alameda D. Afonso Henriques.   


Festival da Tailândia

Quer conhecer a cultura tailandesa mas não tem viagem marcada? O Festival da Tailândia regressa a Belém, ao Jardim Vasco da Gama, e traz danças tradicionais, gastronomia e peças de artesanato. Isto para não falar das famosas massagens tailandesas, para sair de lá curado de qualquer dor que tenha. 



Feira do Livro

Há livros no Parque Eduardo VII e não só. A 89.ª Feira do Livro sofreu com as dores de crescimento e vem maior que nunca – com mais pavilhões e editoras –, mais sustentável e mais acessível para visitantes com mobilidade reduzida. Amealhar autógrafos é apenas uma das múltiplas actividades possíveis, entre o corrupio de apresentações de livros, showcookings, descontos e food trucks, para afagar o estômago.


Festa do Japão em Lisboa

De mão dada com o Japão, Portugal faz a festa. Acontece dia 22 no Jardim Vasco da Gama, em Belém, mais uma edição da Festa do Japão em Lisboa que pretende celebrar a amizade e cultura entre os dois países. Dar a conhecer a cultura japonesa é o grande objectivo desta iniciativa, inserida na programação das Festas de Lisboa e que se repete todos os anos desde 2011. Na Festa do Japão, recria-se o “matsuri” (ambiente de Festival de Verão do Japão) e este ano recria-se o Festival Tanabata, uma das principais festas populares do país. Os visitantes terão a oportunidade de presenciar concertos de música japonesa (tradicional e pop), demonstrações e workshops das várias expressões culturais do Japão: cosplay, artes marciais, gastronomia japonesa, entre outras surpresas.

Lisbon Under Stars

Lisbon Under Stars é o nome do espectáculo imersivo que se vai instalar nas ruínas da Igreja do Carmo. Criado pelo ateliê OCUBO, em parceria com o Museu Arqueológico do Carmo, o espectáculo de projecção multimédia alia-se à música e dança para mais de um mês de diversão nocturna. O Lisbon Under Stars acontece de segunda a sábado em duas sessões – uma às 21.30 e outra às 22.45 – e transforma as ruínas do Carmo num máquina do tempo que vai transportar o público numa viagem por mais de 600 anos de história da cidade.

As melhores feiras e mercados de Lisboa

Lisboa tem espaço para todas as bancas e mais algumas. E se há variedade! Em palácios, à sombra de contentores, paredes meias com museus ou em grandes jardins pelos bairros da cidade, tudo com periodicidade fixa, ora no primeiro fim-de-semana, ora no último, só aos sábados ou só às quintas. É bom que seja organizado e que tome nota. Da moda à decoração, dos produtos frescos do dia (muitos deles biológicos) às traquitanas em segunda mão, sem esquecer as novas marcas portuguesas dedicadas ao design – enfim, é um sem-número de coisas que poderá encontrar por lá.  E não se esqueça que além destes mercados com periodicidade fixa, ainda se pode armar em bairrista e visitar os mercados municipais de Lisboa, muitos deles com cara lavada.  

Fonte: Idealista/News






Veja Também